Falta para meu peso ideal

falta para a segunda meta

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Menstruar ou não menstruar, eis a questão.

Antigamente, as mulheres não se importavam muito com o fato de menstruar, com o passar do tempo, vieram métodos contraceptivos, que de uma hora para outra, fizeram com que menstruar ou não se tornasse opcional.


Pois é,  com isso muitas mulheres começaram a cogitar como seria se não precisassem passar mensalmente por “aqueles dias”.  Estudos da Universidade Federal de Campinas e da Universidade Federal de São Paulo apontaram que o interesse pela interrupção do ciclo menstrual é uma alternativa cogitada por mais da metade do grupo estudado. De acordo com a Unicamp, 65% das 1.1mil mulheres entrevistadas declararam que se dependesse delas, nunca mais menstruariam. Já entre as 4mil entrevistadas pela Unifesp, somente 31% estão satisfeitas com a situação atual de seus ciclos menstruais.

Hoje, a indústria farmacêutica já dispõe de métodos contraceptivos contínuos que podem colocar um ponto final no que, para muitas, são as piores semanas do ano.

E você, se pudesse deixaria de menstruar?!

Para ajudar na decisão achei essa entrevista com um ginicologista muito conceituado. Confiram abaixo:


ENTREVISTA COM DR. PETTA

“Dr. Não quero mais menstruar”, uma opção da mulher moderna

As mulheres da geração atual têm uma vantagem sobre as gerações anteriores: poder escolher se querem menstruar ou não. Algumas mulheres não têm o menor problema com o ciclo menstrual, pelo contrário, sentem-se mais femininas. Já muitas outras mulheres sofrem com o desconforto menstrual. A mulher de hoje, diferente de antigamente, pode tomar essa decisão sobre seu corpo, mas muitas ainda têm algum receio sobre a suspensão da menstruação. Para desmistificar o assunto, conversamos com o médico ginecologista Dr. Carlos Alberto Petta, que gentilmente nos cedeu a entrevista a seguir:


Site - O que é menstruação?

Dr. Petta - A menstruação é o endométrio (camada de glândulas que fica dentro do útero) sendo eliminada.


Site - Por que a mulher menstrua?

Dr. Petta - Porque o endométrio cresce e se forma todo mês para esperar uma possível gravidez que se não acontece, o organismo elimina o endométrio ”não usado” para fazer um novo.


Site - Parar de menstruar hoje em dia é uma opção da mulher?

Dr. Petta - É uma opção através do uso de anticoncepcionais hormonais.


Site - Quais são os métodos de suspender a menstruação? Qual é o melhor método?

Dr. Petta - Todos os métodos hormonais podem suspender a menstruação, os mais usados são os que contêm derivado da progesterona. Os mais eficazes em suspender a menstruação são as injeções trimestrais e o sistema intra-uterino, que depois de seis meses de uso deixam 60% das mulheres sem menstruar. Não existe melhor método, a mulher pode escolher entre as opções que existem no mercado. Nenhum método hormonal é garantia que a mulher não vai menstruar. Ainda o principal efeito colateral de todos eles é sangramento irregular nos primeiros meses de uso.


Site - É um método realmente eficaz? A mulher, ao suspender a menstruação, não corre o risco de engravidar?

Dr. Petta - O risco de gravidez durante o uso da depo-provera é muito pequeno, muito parecido com a laqueadura de trompas, mesmo assim uma em cada 330 mulheres que usam durante um ano engravida.


Site - Quais as vantagens de menstruar? E as de NÃO menstruar?

Dr. Petta - Muitas mulheres gostam de menstruar e se sentem bem com isso. Outras preferem não menstruar para evitar o incomodo, ou para diminuir cólicas por exemplo.


Site - É verdade que suspender a menstruação faz mal?

Dr. Petta - Não, é simplesmente um efeito do método anticoncepcional.


Site - Por que alguns médicos são contra a suspensão da menstruação?

Dr. Petta - A maioria dos médicos é a favor de que a própria mulher decida se quer ou não menstruar e esteja ciente dos benefícios e riscos do uso dos anticoncepcionais hormonais.


Site - É verdade que anticoncepcionais que suspendem a menstruação provocam câncer?

Dr. Petta - Não, os anticoncepcionais que contêm o derivado da progesterona protegem contra câncer do endométrio.


Site - Ao suspender a menstruação a mulher não corre o risco de ter dificuldades para engravidar? E se ela fizer esse "tratamento" durante muito tempo?

Dr. Petta - Os métodos hormonais não prejudicam a fertilidade de forma definitiva, as injeções trimestrais causam demora um pouco maior no retorno da fertilidade e isto deve ser avisado para quem quer usá-las.


Site - Existe um tempo mínimo ou um tempo máximo que a mulher pode suspender a menstruação?

Dr. Petta - Nem mínimo nem máximo, o uso dos métodos anticoncepcionais deve sempre ser monitorado pelo profissional de saúde para detectar o aparecimento de fatores de risco.


Site - Existe idade mínima e/ou idade máxima? Adolescentes podem suspender sua menstruação?

Dr. Petta - Não é aconselhável que mulheres abaixo dos 16 anos e que estejam menstruando há menos de dois anos usem o injetável trimestral.


Site - A mulher pode alternar gravidez com tratamento de suspensão de menstruação? Depois de quanto tempo a partir do parto a mulher pode começar a suspender a menstruação?

Dr. Petta - Se a mulher for usar anticoncepcionais contendo apenas derivado da progesterona pode iniciar o uso depois de seis semanas do parto. Se usar métodos que contenham o estrógeno deve iniciar depois de parar a amamentação ou depois de seis meses do parto.


Site - Em que estado de saúde a mulher deve se encontrar para poder suspender a menstruação?

Dr. Petta - Não pode ter contra-indicações ao uso de métodos anticoncepcionais hormonais.


Site - É verdade que a mulher que suspende a menstruação também suspende os sintomas de TPM?

Dr. Petta - Algumas mulheres têm melhora da TPM quando ficam sem menstruar, mas isto não é uma regra.


Site - Suspender a menstruação pode comprometer a saúde da mulher de alguma maneira?

Dr. Petta - Em geral não.


Site - Anticoncepcionais que suspendem a menstruação provocam acne ou algum tipo de irritação dermatológica?

Dr. Petta - Podem provocar oleosidade na pele e acne, apesar de não ser um sintoma comum.


Site - A mulher que suspende a menstruação deve ter acompanhamento médico?

Dr. Petta - Toda mulher que usa anticoncepcional hormonal deve fazer exames periódicos de controle médico.


Site - A mulher que deseja suspender a menstruação pode fazer isso por conta própria?

Dr. Petta - Não, deve ter avaliação prévia de um profissional médico.


Site - A mulher que deseja suspender a menstruação pode fazer isso usando anticoncepcionais comuns? (anticoncepcionais comuns podem ser tomados em dias consecutivos e emendando-se cartelas com o objetivo de suspender a menstruação?)

Dr. Petta - Podem, mas em geral se aconselha o uso por três meses, pausa de uma semana e reiniciar por mais três meses.


Site - Se a mulher suspende a menstruação, para onde vai o sangue? É verdade que fica acumulado?

Dr. Petta - O sangue não se acumula, simplesmente o endométrio não se forma.


Site - Mulheres que suspendem a menstruação sofrem alterações corporais (engordam?)

Dr. Petta - Algumas mulheres que usam métodos hormonais queixam-se de peso, no caso das injeções trimestrais o aumento médio é de 1,5-2 kg no primeiro ano de uso.


Site - A mulher que suspende a menstruação tem uma vida sexual normal? A libido diminui?

Dr. Petta - Algumas mulheres se queixam de diminuição da libido durante o uso de anticoncepcionais hormonais.


Dr. Carlos Alberto Petta, professor livre docente de Ginecologia na FCM UNICAMP, tem um longo currículo profissional e acadêmico. Mestre (1992) e doutor (1996) pela Unicamp, é também Diretor do Centro de Reprodução Humana de Campinas, Fellow no Family Health International, tem 43 trabalhos internacionais publicados em revistas de língua inglesa, é coordenador na Sub-Comissão de Pós-graduação em Tocoginecologia Unicamp e vice-presidente da Comissão Nacional de Anticoncepção – FEBRASGO. Desenvolveu ainda as Linhas de Pesquisa “Epidemiologia e tratamento da endometriose” e “Mecanismo de ação de métodos anticoncepcionais hormonais”.

É co-autor dos livros “Métodos Anticoncepcionais” (Ed. Contexto - 1998 ) e “Concepção: Aspectos Contemporâneos” (Ed. Atheneu 2005), ambos vendidos nas melhores livrarias do país.




Um comentário:

  1. Olá... adorei a entrevista... muito informativa...

    Vim te visitar, gostei do seu blog e já estou te seguindo.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Adorei a visita, volte sempre!